TESTE

FAQ

You can insert unlimited color option for heading

HomeFAQ

Perguntas Frequentes

Os valores dos planos de saúde são definidos por faixa etária. Quando o beneficiário faz aniversário e muda de faixa, há o reajuste do plano. (As faixas são: de 0 a 18 anos, 19 a 23 anos, 24 a 28 anos, 29 a 33 anos, 34 a 38 anos, 39 a 43 anos, 44 a 48 anos, 49 a 53 anos, 54 a 58 anos e acima de 59 anos)

Pode ser contratado um plano empresarial a partir de 2 vidas, sendo no mínimo 1 titular.

A portabilidade é quando você migra de um plano para o outro sem carência. No entanto, é necessário que tenha permanência mínima de 2 anos no plano anterior e a portabilidade só pode ser feita no aniversário da apólice do contrato.

Outro caso esporádico é quando o seu plano atual decreta falência, isto é, uma portabilidade emergencial.

Atualmente as operadoras não estão trabalhando com plano familiar, porém, as carências são contratuais e variam de um plano para o outro.

Existem duas opções de planos:

Pessoa física, quando o plano é feito diretamente com a operadora do plano de saúde.

Adesão, quando há uma administradora intermediando entra o beneficiário e a operadora.

Os conveniados a planos com coparticipação, além da mensalidade fixa, devem pagar uma pequena taxa no momento da consulta, de acordo com o contrato. Ao assiná-lo, você fica ciente dessas informações. Na contratação do plano com coparticipação, a mensalidade cobrada é baixa e econômica. Normalmente, o valor a ser pago é para consultas, exames ou outros procedimentos.

Com essa pequena taxa cobrada, é possível ter um plano de saúde com uma mensalidade mais baixa dos que as demais. São geralmente indicados para pessoas que usam pouco o atendimento de saúde.

A cobrança da taxa de coparticipação não é feita mediante utilização do plano. O valor referente à coparticipação é acrescentado ao valor mensal recebido para pagamento.

As principais coberturas são: Urgência, emergência, consulta, diagnóstico, odontologia preventiva, radiologia, dentística (restaurações e obturações), cirurgias, disfunções temporo mandilar, periodontia (tratamento de gengiva) e endodontia (tratamento de canal).
Alguns planos cobre também a documentação ortodôntica (para colocar aparelho) e próteses conforme Rol de Procedimentos da ANS.

Já a carência varia conforme o plano escolhido, tem planos que em 24hs já está liberado todos os procedimentos e outros que só depois de 90 dias se pode fazer a primeira consulta.

A portabilidade só pode ser feita em 120 dias contados da data de aniversário da assinatura do contrato. O beneficiário precisa ter no mínimo 2 anos de permanência no plano anterior e só pode portar para um plano equivalente ou inferior.
Caso não se encaixe nas informações a cima, é possível fazer uma compra de carência, para isso é necessário solicitar a operadora a ‘carta de permanência’, ela pode ser usada em no máximo 60 dias após o cancelamento e cada operadora tem uma regra diferente sobre o que reduz de carência no novo plano.

Sim, e são bem poucos os que tem a opções para viagens internacionais.

São considerados planos de alto padrão e além do reembolso para urgência e emergência que pode chegar há 300 mil dólares tem uma Assistência ampla com diversos serviços, Entre eles: auxilio em caso de extravio de bagagem, informações em caso de perda ou roubo de documentos, acompanhamento em caso de menores no embarque, transmissão de mensagens, Concierge internacional para reserva de shows, restaurante e hotéis, remoção inter-hospitalar, assistência médica, odontológica e farmacêutica.

A One Health em especifico cobre até urgência e emergia para práticas esportivas, no valor de até 100 mil dólares.

Esses são planos que já incluem esses serviços, mas a operadora Amil, por exemplo, tem o opcional de Assistência Multiviagem, que pode ser aderido junto ao plano de saúde e cobre a mesma assistência descrita a cima.

Não necessitará de um plano especifico, porém não são todos os planos que aceitam pessoas que exercem funções com atividades de risco no trabalho, mas alguns até aceitam determinadas profissões, nas quais podem ser consultadas na hora de fazer a cotação de planos de saúde.

Sim, autônomos podem fazer a contratação de qualquer tipo de plano, seja ele familiar, pessoa jurídica ou pessoa física, é somente necessário verificar quais são as modalidades de planos que a operadora tem disponível no mercado, e qual modalidade melhor irá atende-lo.

Sim, autônomos podem fazer a contratação de qualquer tipo de plano, seja ele familiar, pessoa jurídica ou pessoa física, é somente necessário verificar quais são as modalidades de planos que a operadora tem disponível no mercado, e qual modalidade melhor irá atende-lo.

As regras são bem simples e fáceis, porém caso você já tenha um plano, você terá que verificar direto com a operadora se a modalidade de seu plano abrange o reembolso. Caso você esteja fazendo cotação, é sempre importante perguntar para a atendente ou para o corretor se o seu plano te da direito ao reembolso caso seja necessário.

O reembolso funciona assim, você tem o plano e deseja passar por um médico que já está acostumado a passar, ou por indicação pessoal ou de algum médico de seu plano, porém este medico não está credenciado na modalidade de seu plano, você pode passar com ele em consulta particular, aonde você terá reembolso da consulta, mas lembrando que a operadora sempre terá um teto limite de reembolso por cada modalidade de plano. Então se a consultar for no valor igual ou inferior ao valor máximo do reembolso, você irá receber o valor integral da consulta, mas caso o valor da consulta ultrapasse o teto limite do valor do reembolso, você irá receber o valor conforme o teto do plano contratado.

A ANS define anualmente o índice autorizado para reajuste dos planos médico-hospitalares contratados posteriormente à Lei nº 9656/98.
Há dois tipos de reajuste nos planos de saúde: o Reajuste por faixa etária e o Anual.

Quando um ou mais beneficiários do contrato fazem aniversário e com isso mudam de faixa é quando se dá o Reajuste por Faixa Etária.

Reajuste Anual

  • Pessoa Física: Ocorre no aniversário do contrato e é baseado no Índice Médico estipulado pela Agência Nacional de Saúde.
  • Coletivos por Adesão: além do Índice médico leva-se em conta também a sinistralidade do grupo, ou seja toda a utilização dos beneficiários durante o período de um ano. Os meses de reajuste já são predefinidos pelas Administradora, e cada operadora tem o seu em um mês.
  • Pessoa Jurídica: seu reajuste anual acontece no aniversário do contrato e além do Índice Médico da ANS considera-se também a utilização dos beneficiários do contrato.

Pesquisa